quinta-feira, 29 de maio de 2008

Try honesty.

O conceito de honestidade preocupa-me.

Qual é, de facto, o limite onde nos despegamos da honestidade e começamos só a ser inflexíveis?
E já que ser honesto implica sempre que o mensageiro é que leva com o tiro, ainda que o trabalho de ir a cavalo até ao alto da montanha seja todo dele, por que é que é melhor ser honesto a ser hipócrita?
  1. Ser hipócrita não cansa e é divertido. Mas provoca um certo ódio de estimação.
  2. Ser honesto faz-nos ficar de bem connosco mas entramos em argumentações e transparência de espírito. E isso torna-nos vulneráveis.
Who wins?

5 comentários:

Cate disse...

acho que devemos contrabalançar os dois, sinceramente.
e pagar na mesma moeda também é bom.

disse...

er. eu sou cínica, não me perguntem :)

Analog Girl disse...

Eu cá gosto da honestidade. Claro que tenho de ter os meus momentos de hipocrisia.

Mas prefiro a honestidade, uma alma transparente, não sei porquê, desarma facilmente uma mais opaca. Porque se virem através de mim...talvez não consigam bem olhar "para mim" e desvendar-me completamente.

Analog Girl disse...

A honestidade é uma manifestação, não uma demonstração...
(só para terminar o pensamento anterior)

Bernardo disse...

3. Mas porque é que tem sempre que se chegar ao meio-termo? Honestidade por natureza, hipocrisia em último recurso.

Belo blog!