quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A Argentina tem o Quino e tem a Mafalda.


Uma escultura de Mafalda, a popular personagem criada pelo argentino Quino, ficará instalada a partir de domingo, em Buenos Aires. Mafalda ficará sentada num banco com uma altura de 80 centímetros, no preciso bairro onde decorria a história da personagem e a uns escassos metros do local onde vivia o seu criador, Joaquín Salvador Lavado (mais conhecido por Quino).
A estátua é da autoria do escultor Pablo Irrgang e celebra a curta - mas gloriosa - vida de uma personagem que se tornou símbolo da contestação e do inconformismo nos anos 60 e 70. A Mafalda, criança céptica e pessimista, surgiu pela primeira vez em 1964 numa série de tiras publicadas em três jornais, arrancando o riso e provocando a reflexão aos seus leitores até 1973, ano em que Quino decidiu pôr fim à aventura.
O autor nasceu em Mendoza em 1932 e reside actualmente em Itália. No próximo domingo, será homenageado na Argentina. De regresso a Buenos Aires, onde viveu vários anos e onde criou Mafalda, lamentou que a cidade se encontre arruinada e irreconhecível.
Quino confessou que todas as personagens da Mafalda têm um pouco dele próprio, e que se identifica mais com Felipe, Miguelito e Libertad. Sublinhou ainda que Mafalda é uma personagem feminina porque «as mulheres são muito mais astutas do que os homens».

Uma homenagem merecida, tanto ao criador como à criação.
E agora teho mais uma razão (entre mil) para ir a Buenos Aires.
Até já estou a imaginar a minha foto agarrada à Mafaldinha.
*suspiro*

terça-feira, 25 de agosto de 2009

E eu nem sou de acreditar nestas coisas, mas...


... O meu horóscopo hoje diz-me, entre outras coisas: «Just hang onto your tongue today. You may get information tomorrow that dramatically changes your feelings.»

E eu concordo. É mesmo melhor que assim seja.
Preciso esfriar as ideias. Ou não.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Sinceridade, acima de tudo.


Algo me diz que a Joana era assim quando era pequenina. Cookiiiieeees!

The Ugly Truth

Gosto da Katherine Heigl. Gosto dela desde o primeiro episódio de Grey's Anatomy. E, mesmo depois da personagem Izzie se ter transformado numa autêntica drama queen, continuei a gostar dela. No grande ecrã, acho que a Kate também não desilude, ainda que só a tenha visto em comédias românticas. Confesso que gostei do 27 Dresses e achei piadinha ao Knocked Up. A Katherine é gira e boazona, mas vence o estigma Megan Fox, conseguindo fazer boas interpretações, tanto dramáticas como cómicas. E, por isso, gostei, mais uma vez, do novo filme The Ugly Truth. Apesar do "ai-ai-encontrei-o-amor-na-pessoa-que-mais-odiava-e-agora-o-que-é-que-eu-faço-?" a que já nos habituámos neste tipo de histórias, é um filme leve e divertido sobre as teorias e tácticas dos relacionamentos amorosos. Ah, e tem o Gerard Butler que é um giraço de primeira!
No entanto, custa-me a crer que a generalidade das mulheres e homens por esse mundo fora estejam de acordo com os traços de personalidade dos protagonistas deste filme. Abby, a personagem de Katherine Heigl, é uma control freak, obcecada com o amor, com o romantismo, desesperadamente à procura de um homem perfeito - para o qual elaborou uma lista de qualidades necessárias. Os seus encontros - combinados em sites de blind dates - resultam sempre em fracasso e embaraço. Muito basicamente, Abby é uma falhada a nível social e amoroso. Até que aparece Mike (o Gerardzinho, tão lindo), um autêntico manwhore que lhe vem ensinar como conquistar os homens. Entre as regras estão pontos como rir de todas as piadas dele, não falar demasiado dos seus problemas (porque ele não vai ouvir além do básico) ou a não criticar o que quer que seja. Abby segue as regras e conquista o seu perfect man, um médico todo giraço e cheio de dinheiro. Sugere-se, portanto, que uma mulher tem que mudar (e muito)para conseguir atrair um homem.
Claro que a moral da história é que, muito provavelmente, não será o seguir determinadas regras que dita o sucesso ou insucesso de uma relação. Eu sei que muitas vezes damos por nós a apostar em certos padrões: "tens que fazer isto, porque é sempre assim"... Mas será que existem mesmo regras fixas para encontrar - e manter - o amor?

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Finalmente, é sexta-feira!

E acho que hoje saio mais cedo e tudo.
Para vocês, um bom fim-de-semana!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Desumanidade.


Hoje estou com as tripas viradas do avesso. Uma rapariga de 17 anos foi violada, ontem à noite, em Telheiras (considerado o melhor bairro de Lisboa, atenção!). Ao dirigir-se ao Hospital de Santa Maria o pai da vítima foi informado que não estavam disponíveis peritos do Instituto de Medicina Legal para a examinar e que a filha teria de aguardar doze horas, sem tomar banho ou ingerir alimentos, até que fosse vista por um médico do instituto.

E porquê? Ora parece que alguém decidiu que durante o mês de Agosto não há médicos disponíveis na escala nocturna. E porquê? Porque foi tudo de férias!

Alguém me explique onde é que isto faz sentido! Estamos em Agosto, está calor, as pessoas - sobretudo os jovens - andam até mais tarde na rua, logo parece-me (eu que nada sei!) que há um maior risco de acontecerem este tipo de crimes sexuais (já agora, e penas mais pesadas para estes animais?).

No entanto, parece que as amostras até poderiam ter sido recolhidas por qualquer médico de ginecologia disponível no momento. Assim, a rapariga poderia ter ido para casa tomar banho - porque, sinceramente, deve ser das coisas que uma vítima de violação mais deseja - e regressar no dia seguinte para fazer os restantes exames físicos com a equipa de peritos (em Agosto também só há 3 disponíveis... e deve ser de má vontade!). Mas ninguém fez nada. Nada!

É desumano mandar para casa uma rapariguinha vítima de violação, dizendo-lhe que não se pode lavar, nem sequer beber água, até ao dia seguinte. Sem qualquer apoio psicológico, porque pelos vistos também não havia um psicólogo disponível!

Já não bastava o trauma, o sentimento de invasão e desrespeito que deve envolver um acto destes, ainda tem que passar por todo este doloroso processo. Porque é que os médicos não se organizaram de modo a não irem todos de férias ao mesmo tempo? Porque não está nem um a trabalhar à noite? Será que uma simples peritagem tem mesmo que ser feita por um médico; não pode ser feita por um enfermeiro? Não percebo qual é a ciência disto.
E as responsabilidades? Quem vai assumir? Será que, ninguém além da vítima, irá sofrer consequências?
Triste viver num país em que se dá mais importância à defesa dos destinos dos corruptos do que à protecção daqueles que sofrem sem culpa alguma.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

domingo, 16 de agosto de 2009

Up!

Eu já tinha falado aqui sobre a minha sensibilidade em relação a três coisas: velhinhos, animais e gordinhos. Pois bem, este filme conseguia reunir tudo. E, embora fossem desenhos animados para rir (e eu ri-me... muito!), houve momentos em que dei por mim de coração apertadinho e a segurar as lágrimas! Ando a ser dominada pelo meu soft side...
Vejam o «Up!«, é muito giro! Se for no Best Seat Vodafone do Corte Inglés, melhor ainda, porque oferecem as pipocas!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Hoje só tenho a dizer...

... que é impossível trabalhar com este calor!
(nem dá para escrever muito, porque até o computador se está a recusar funcionar como deve ser)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Machistas!

Cheguei à conclusão que vou pagar mais pelo seguro do meu carro porque, além de ter menos de 26 anos, sou mulher! Portanto, o pessoal da seguradora está a querer dizer-me que, por ser do sexo feminino, tenho mais tendência para ter acidentes... Qual é a base científica para isto?! E que se lixe a modéstia, mas estou convicta de que conduzo melhor que metade da população masculina deste país!! Cambada de preconceituosos, acordem p'ra vida!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Haja paciência.

Detesto, odeio, fico passada, fico fora de mim, entre outros acessos de loucura, quando - depois de vários telefonemas a perguntar horários e documentação necessária - vou até a faculdade para me inscrever e dizem-me: "Ah, afinal ainda não sabemos se vamos abrir este curso!".
Anda aqui uma pessoa (ainda) com vontade de estudar e é isto...

Nadinha nadinha a ver!



Ainda faltou mencionarem aqui grandes bandas como D'zrt, 4Taste ou Just Girls, que também sabem fazer uns bons plágios. Ainda que o Tony Carreira seja o rei deles...

terça-feira, 4 de agosto de 2009

É, isto anda paradito. Mas um dia eu volto. Um dia perto.

A culpa é do Facebook. E do trabalho, vá.